Um importante pesquisador da Universidade de Londres garantiu ter encontrado PROVAS para apoiar o relato bíblico da Torre de Babel..

Muitas novas descobertas tem surpreendido pesquisadores do mundo inteiro. A cada nova descoberta que é feita, mais notamos que a historia contada nos livros de historia esta totalmente errada e desafia os maiores estudiosos do mundo..

O que precisamos atualmente é repensar nosso passado antigo, e reescrever a verdadeira história da humanidade começando do 0!!

Para algumas pessoas, a Bíblia é apenas um bom livro que contém histórias complicadas para serem reais. Para outros, é um livro sagrado que reúne os pensamentos do Criador do ser humano, um texto que costumam chamar de a palavra de Deus. No entanto, é incomum que um professor descrente faça afirmações que parecem apoiar o registro bíblico, como o famoso relato da Torre de Babel.

O relato bíblico da Grande Torre de Babel

No capítulo 11 do livro bíblico do Gênesis, a Bíblia conta que o ser humano decidiu fazer uma grande torre com a intenção de alcançar o céu. Isso era mais do que uma tentativa de ganhar fama e renome, e tinha o objetivo de se opor à vontade de Deus.

Este assentamento humano se tornaria uma grande cidade que impediria o homem de se dispersar pela Terra, como Deus ordenou. O relato do Gênesis acrescenta mais uma ideia: naquela época, toda a humanidade falava a mesma língua.

Curiosamente, os linguistas modernos concordam que, no passado, havia apenas uma língua falada por toda a humanidade.

Sem qualquer barreira linguística para atuar como obstáculo, esse grande grupo de pessoas se comprometeu a construir o edifício mais alto já conhecido.

Gênesis indica que aquela enorme construção viu seu ponto final quando o próprio Deus interveio para frustrar os planos do homem. Compreendendo as consequências da humanidade continuar a falar a mesma língua, o Criador usou seu poder infinito para impor diferentes linguagens e assim confundi-las.

Assim, surpreendentemente, os construtores não conseguiam mais se comunicar com fluência e um grupo de idiomas após o outro abandonava as obras até que todas fossem interrompidas. Esse assentamento primitivo foi chamado de Babel, que na língua original da história significa 'confusão'.

Evidências arqueológicas que apoiam os relatos bíblicos

Por décadas, vários cientistas e historiadores assumiram a responsabilidade de desacreditar o registro bíblico. Visto que Charles Darwin levantou dúvidas sobre o relato de que a criação ocorreu em seis dias, muitos mais começaram a duvidar de sua veracidade. Eles se perguntaram: o que mais poderia haver na Bíblia que não fosse verdade?

Durante o século 19, arqueólogos e historiadores descobriram que os reis assírios descritos na Bíblia eram reais e que havia suporte arqueológico corroborante. Essas e outras descobertas mudaram o foco, pelo menos um pouco, e começaram a se perguntar: quanto mais há de verdade na Bíblia?

Recentemente, o Dr. Andrew George, Professor de História da Babilônia na Universidade de Londres, afirmou ter encontrado evidências para apoiar o relato bíblico da Torre de Babel. Examinando uma placa de cerâmica descoberta um século atrás na Babilônia, ele detectou uma alusão direta ao edifício gigantesco.

Na tabua da Babilônia pode-se observar o aparecimento do zigurate conhecido como Torre de Babel. Existem sete níveis no edifício, e o rei também é visto com seu chapéu cônico e seu cetro. Um pouco mais abaixo, você pode ler a ordem real de construção da torre.

Na verdade, o rótulo pode ser lido facilmente e diz "Etemenanki, Zigurate Babel", que significa "O zigurate da cidade de Babilônia". Além disso, o texto traz informações sobre a contratação de trabalhadores para a execução da obra. A tradução do texto indica que o rei ordenou trazer construtores do Mar Mediterrâneo para o Golfo Pérsico.

Mais uma prova que confirma a veracidade bíblica

Os especialistas já acreditavam que o rei Nabucodonosor II havia ordenado a construção de um zigurate na Babilônia depois de fazer desta cidade a capital de seu império. A tabua examinada pelo professor George confirma esta teoria e estabelece que o relato bíblico da Torre de Babel pode ser baseado em um fato histórico real.

Hoje, restam apenas alguns fragmentos das ruínas deste edifício, já espalhadas e destruídas.