Um dedo humano fossilizado com 100 milhões de anos pode ter sido encontrado??

13/12/2021

Uma descoberta colocou a antropologia e a ciência tradicionais em cheque; um objeto de pedra que poderia ser um dedo fossilizado de 100 milhões de anos. Nossa história é realmente diferente de como foi contada?

Segundo a ciência, o fóssil humano mais antigo tem 2,8 milhões de anos e foi encontrado na África. No entanto, parece que as coisas são um pouco diferentes. Há uma série de descobertas que contradizem totalmente o cânone histórico e confundem a comunidade científica. Mas nada se compara à descoberta de um dedo fossilizado de 100 milhões de anos.

A descoberta do "dedo fossilizado"

Na década de 1980, um grupo de criacionistas, liderado por Carl Baugh, afirmou ter desenterrado uma rocha alongada, dentro de uma pilha de cascalho. De acordo com seus estudos, este é um dedo humano fossilizado.

Fósseis descobertos na região mostraram que a formação tinha cerca de 100 milhões de anos. Nesse caso misterioso, para que o tecido mole fossilize, os paleontólogos estabelecem que o dedo e seu dono devem ter sido enterrados em um ambiente onde não havia oxigênio em um curto período de tempo.

Assim, cada célula individual é mineralizada separadamente em um rápido sepultamento, preservando suas características microscópicas. De acordo com essa explicação, o homem que já teve o dedo agora fossilizado deve ter morrido de forma violenta. É a única maneira de explicar a formação de fósseis em condições extremas. Algo que, segundo os especialistas, só aconteceria por "pura sorte".

Para entender melhor a formação interna do dedo, uma porção foi cortada com serra diamantada, expondo diferentes círculos concêntricos das estruturas internas. Durante a análise, tomografias foram feitas, revelando informações ainda mais surpreendentes, incluindo a presença do que pareciam ser ossos, articulações e tendões.

Devido às diferenças em suas densidades, eles apareceram como pontos mais escuros nas imagens digitalizadas.

É realmente um fóssil de 100 milhões de anos?

Segundo os pesquisadores, embora a identidade do dedo ainda não possa ser atribuída a um determinado indivíduo, ou espécie, é virtualmente impossível que ele pertença a um primata. Portanto, ainda resta uma resposta: como um dedo fossilizado de 100 milhões de anos ainda pode existir? Ou talvez não tenha realmente 100 anos?

Para que o dedo seja estabelecido como um "Oopart" ou objeto extraviado, ele precisa de uma confirmação confiável de que já esteve naturalmente embutido em uma formação rochosa antiga. É assim que se prova que realmente é um dedo fóssil real. No momento, isso ainda não foi comprovado.

Dale Peterson examinou a amostra usando raios-X, tomografia computadorizada e ressonância magnética. Ele foi capaz de identificar articulações e traçar tendões em todo o fóssil. Sua conclusão foi: "Não pode haver dúvida razoável de que é um dedo fóssil."

Na verdade, a escassa evidência sobre o local de origem do fóssil tira uma pequena parte de seu valor. Embora possa ter sido encontrado perto de uma pilha de cascalho do Cretáceo, um período que data de cerca de 145 a 66 milhões de anos atrás, não há como verificar isso.

Mas isso não quer dizer que seja falso, ainda é uma peça que pode mudar completamente nossa historia. Então existe a possibilidade de que a civilização como a conhecemos não foi a primeira a habitar o planeta.