Tumba do Senhor de Sipan, Sacerdote Guerreiro Mochicano

14/08/2021

Em 1987, um enorme complexo de túmulos da cultura Moche não saqueados foi desenterrado no sítio arqueológico de Huaca Rajada, perto de Sipán, na costa norte do Peru. A mais famosa das tumbas pertencia a El Señor de Sipán (O Senhor de Sipán), um sacerdote guerreiro Mochicano que foi sepultado entre tesouros deslumbrantes, como nunca se viu antes na região.

Antes de encontrar o proeminente líder Moche, os arqueólogos foram recebidos por um Guardião - os restos mortais de um homem usando um capacete de cobre e segurando um escudo. Ele foi enterrado sentado e seus pés foram amputados para evitar que ele deixasse sua posição de sentinela. Na época, os pesquisadores não tinham ideia das riquezas opulentas que estavam além do Guardião.

Por fim, os escavadores encontraram uma tumba, uma câmara de 5 por 5 metros, ainda lacrada, com um sarcófago de madeira no centro - o primeiro desse tipo a ser relatado nas Américas. Dentro do caixão, estavam os restos mortais de um homem vestido com trajes reais, cercado por uma infinidade de oferendas que o acompanhariam em sua vida após a morte.

Uma análise de seus trajes e representações iconográficas encontradas em sua tumba sugere que este homem era um sacerdote-guerreiro Moche de alto escalão e um governante do vale de Lambayeque. Este poderoso nobre, que provavelmente era visto por seu povo como possuidor de poderes divinos, ficou conhecido como o Senhor de Sipán.

O Senhor de Sipán tinha entre 35 e 45 anos na época de sua morte e é conhecido por ter governado o Vale de Lambayeque no final do século III DC. O líder de elite foi encontrado adornado com joias e ornamentos de ouro, prata e cobre, incluindo um enorme cocar em forma de crescente com uma pluma de penas, uma máscara facial, colares, argolas no nariz, brincos, um cetro de ouro e prata e estandartes de metal dourado.

Também foram enterrados com o Senhor de Sipán muitos utensílios cerimoniais, como conchas do mar tropical, guizos de prata e ouro, facas, máscaras de ouro, sinos de ouro mostrando uma divindade cortando cabeças humanas e três outros cocares. Um total de 451 objetos de ouro, prata, cobre, têxteis e penas foram enterrados com o Senhor de Sipán para acompanhá-lo na vida após a morte.

A comitiva do Senhor de Sipán

À medida que as escavações avançavam, os arqueólogos logo descobriram que o Senhor de Sipán não estava sozinho. Enterrados com o sacerdote guerreiro estavam seis outras pessoas: três jovens mulheres vestidas com roupas cerimoniais colocadas na cabeça e nos pés de seu caixão (possivelmente esposas ou concubinas que aparentemente haviam morrido algum tempo antes), dois homens robustos (possivelmente guerreiros que foram sacrificados para acompanhar seu senhor), e uma criança de cerca de nove ou dez anos de idade, colocada na cabeceira de seu caixão. Os restos mortais de um terceiro homem foram encontrados mais tarde no telhado da câmara mortuária, sentados em um nicho com vista para a câmara. Havia também um cachorro, que pode ter sido o animal de estimação favorito do Senhor de Sipan, e duas lhamas, que provavelmente eram oferendas.

O Sacerdote Sacrificial

No ano seguinte, em 1988, uma segunda tumba foi encontrada e escavada perto da do Senhor de Sipán, que continha um indivíduo que os arqueólogos concluíram ser também um sacerdote Moche, perdendo apenas em status para o próprio Senhor, cercado por um Guardião e duas mulheres. Ele foi enterrado com vários objetos ritualísticos, incluindo um copo ou tigela para coletar o sangue das vítimas do sacrifício, uma coroa de metal adornada com uma coruja com suas asas estendidas e outros itens associados à adoração da lua.

O Velho Senhor de Sipán

As descobertas continuaram surgindo. Enterrado sob 16 camadas, os arqueólogos encontraram uma terceira tumba, que era um pouco mais velha que as outras duas. Os tesouros e ornamentos de ouro que acompanhavam o falecido revelaram que esse indivíduo era do mesmo nível ou semelhante ao Senhor de Sipán, e a análise de DNA mostrou que os dois eram parentes. Como resultado, os arqueólogos chamaram este terceiro indivíduo de "O Velho Senhor de Sipán".

O 'Senhor de Sipan' estava acompanhado por uma jovem e um Guardião e, embora seu túmulo fosse mais moderado do que o pertencente ao Senhor de Sipán, continha o melhor trabalho em metal encontrado no local, incluindo muitas peças feitas de finas placas de ouro marteladas, e cobre dourado e ligas. A capacidade de fazer esse tipo de liga de ouro não foi descoberta na Europa até séculos depois.

Entre as relíquias mais preciosas havia uma minúscula estatueta de ouro segurando um escudo e uma clava, vestindo uma camisa turquesa incrustada, um cocar de coruja e um enfeite de nariz móvel, e um colar finamente trabalhado feito de aranhas douradas.

Em 2007, um total de quatorze túmulos de elite foram encontrados em Huaca Rajada e parece bastante claro que muitos mais ainda estão esperando para serem encontrados. Os bens encontrados dentro deles são tão extensos que um grande museu foi construído inteiramente dedicado a destacar esta incrível descoberta que lança luz sobre a cultura, religião e tecnologia da civilização Moche. O Museu das Tumbas Reais de Sipán foi construído nas proximidades de Lambayeque para armazenar a maioria dos artefatos e interpretar as tumbas.

Fonte: Ancient Origins