Pulseira com mais de 40.000 anos é achada na Sibéria: Teria sido criada por uma antiga humanidade?

28/07/2021

Acredita-se que seja a prova definitiva de que, há milhares de anos, não existiam apenas povos primitivos no mundo.

Descobertas cada vez mais antigas são realizadas que surpreendem até mesmo os maiores especialistas em arqueologia. Apesar de já existirem várias, a pulseira é uma das mais marcantes, devido à idade que se acredita ter. É por isso que muitas pesquisas foram feitas em torno desse dela.

Onde o objeto foi encontrada?

Tal como acontece com muitos achados arqueológicos, uma caverna foi o local da descoberta. Especificamente no Desinova, que está localizado em uma cordilheira chamada Altai da Sibéria, no território da Rússia. Essa região é conhecida como local de descobertas de vários fósseis de animais.

Devido às baixas temperaturas que caracterizam a área, geralmente abaixo de zero, os fósseis foram preservados. Portanto, esses restos, que dizem pertencer a espécies agora extintas, estão em bom estado. Portanto, não é surpreendente que o mesmo aconteça com a peça que foi descoberta.

Foi encontrada em 2008, mas o valor histórico a ela atribuído continua a ser apurado. Já os especialistas contam com ferramentas cada vez mais sofisticadas para perceber e analisar seus detalhes. O que os cientistas afirmam, desde o início, é que essa joia é a mais antiga já encontrada provavelmente.

Qual é a verdadeira idade do objeto?

Anteriormente, considerava-se que foi feito entre 40.000 e 50.000 anos. No entanto, novas descobertas foram levantadas por alguns sugerindo que talvez tenha até 70.000 anos.

Especialistas de diferentes partes do mundo, como Austrália, Rússia e Reino Unido, estão investigando atualmente. Portanto, vários são os dados que apontam para uma alteração na datação da referida pulseira. Assim que os estudiosos do assunto debaterem a data, com certeza escreverão um artigo em uma importante publicação científica.

Quem fez essa joia?

Os pesquisadores não acreditam que seja algo que pertença os neandertais. Portanto, eles decidiram concluir que corresponde aos humanos que eles chamam de hominídeos denisovanos, ou denisovanos.

Certos estudiosos afirmam que esses seres humanos viveram há 600.000 anos, eram subdesenvolvidos e constituíam povos nômades. Apesar dessas afirmações, não se pode negar que esta pulseira é um artesanato que revela muita engenhosidade. Portanto, provavelmente foi usado por alguém de alto escalão.

Que outra descoberta foi feita com a pulseira?

A pulseira, que certamente foi usada como joia no passado, não foi o único achado feito. Dentro da caverna, também havia ossos pertencentes a um mamute tipo lanoso e um osso rosado.

Por que essa peça é especial?

A atenção que esta joia recebeu pode parecer exagerada, mas há mais de uma razão por trás disso. Por exemplo, foi feito com clorita polida, pedra encontrada a 24 km da área. Além disso, muda de cor, pois reflete os raios solares durante o dia quando é usado no pulso.

Mas à noite, com a luz emitida pelo fogo, fica com uma cor verde profunda. O furo na moldura é a característica mais incrível, porque parece que foi feito com algo semelhante à broca moderna. Isso provavelmente foi usado para colocar um cordão e também usá-lo ao redor da cintura ou pescoço.

O corte, o polimento e a precisão desta antiga pulseira fazem com que até os cientistas a admirem e se surpreendam com a engenhosidade

Para o especialista, o mais provável é que a pulseira tenha sido usada para momentos únicos e excepcionais.

A joia está atualmente no Museu de História e Cultura dos Povos da Sibéria. Acredita-se que seja a prova definitiva de que, há milhares de anos, não existiam apenas povos primitivos no mundo.

Esta pulseira, considerada por alguns como uma "Oopart", junta-se a uma longa lista de artefatos considerados à frente de seu tempo. O que demonstraria a existência de uma civilização avançada no passado remoto.

Fonte: Siberian Times

ATENÇÃO: Respeite o conteúdo do SITE, não copie sem autorização (conteúdo 100% protegido)