O Mistério das Pirâmides das Canárias: Este local levanta mais perguntas do que respostas segundo investigadores

15/07/2021

Um dos lugares mais particulares de toda a Espanha guarda um segredo bastante surpreendente. As Pirâmides das Canárias são um grande mistério para a arqueologia atual, isso porque até hoje não se sabe nem mesmo por que foram construídas.

As pirâmides das Ilhas Canárias não são muito populares quanto outras ao redor do mundo, talvez por causa da falta de informações relacionadas a elas. Essas pirâmides se tornaram conhecidas graças ao explorador Thor Heyerdahl, que nunca pôde responder nenhuma de suas perguntas relacionadas as estruturas, mesmo após uma vasta pesquisa. O pesquisador e cientista russo Victor Melnikov também investigou essas estruturas sem obter maiores informações.

As pirâmides de Güímar

Estas pirâmides escalonadas estão localizadas no sudeste de Tenerife, especificamente na cidade de Güímar. Este complexo cobre 64.000 metros quadrados e acredita-se que tenha sido construído de 5.000 a 7.000 anos atrás. Uma época contemporânea com a construção das pirâmides do Egito, México e Peru.

No entanto, alguns outros pesquisadores sugerem que as pirâmides foram construídas na segunda parte do século 19, por agricultores. De acordo com esta versão, as pirâmides foram construídas empilhando pedras que foram descobertas ao arar terras distantes. Os mais velhos asseguram que antes existiam estruturas semelhantes em todo o Tenerife, mas foram saqueadas e os seus materiais foram utilizados para outras construções locais.

O curioso dessas pirâmides é que foram construídas em áreas onde não havia agricultura. Portanto, acredita-se que seu uso fosse religioso ou para astronomia. O pesquisador norueguês Thor Heyerdahl foi o primeiro a explorar as pirâmides nos anos 90. Ele se estabeleceu em Tenerife por 7 anos e garantiu que não eram apenas "escombros", como afirmam os arqueólogos.

Ele disse que as pedras usadas para sua construção foram processadas. O solo sob estes foi nivelado, além disso, não foram usadas pedras simples, mas pedaços de lava vulcânica congelada.

Heyerdahl também foi quem descobriu o alinhamento astronômico das pirâmides de Güímar. Do topo da construção mais alta, durante o solstício de verão, pode-se ver um pôr-do-sol duplo. Inicialmente, a luz cai atrás da montanha, mas então ela se eleva e "se põe" novamente.

Além disso, todas as pirâmides têm uma escada em seu lado oeste, que aponta para o nascer do sol durante o solstício de inverno. Embora o pesquisador não pudesse descobrir quando ou quem os construiu, ele descobriu uma caverna subterrânea, que era habitada pelos Guanches, um povo antigo que habitava as Ilhas Canárias.

Os Guanches são um enigma para a arqueologia, porque apesar de terem se estabelecido na ilha, ninguém sabe de onde vieram. De acordo com o escritor romano Plínio, o Velho, as Ilhas Canárias estavam desertas durante os séculos VII e VI a.C.

Mesmo assim, eles encontraram grandes estruturas em toda a área. Os Guanches também foram mencionados em lendas da Grécia antiga. Este último ponto gerou o nascimento de várias teorias relacionadas a esta cidade misteriosa. Porém, o mais impressionante é aquela que os relaciona com o velho continente perdido; Atlântida.

Alguns historiadores acreditam que essa civilização perdida pode ter sido uma sobrevivente do grande cataclismo que afundou o antigo império atlante.

Na verdade, os próprios habitantes nativos das Ilhas Canárias asseguram que o sangue Guanche ainda corre em suas veias e se alguém é alto, tem cabelos claros e olhos azuis, é sem dúvida um nativo. Segundo a história espanhola, quando chegaram às Ilhas Canárias, os indígenas tinham exatamente essa descrição. Os relatos falam de pessoas extremamente altas, de pele clara, cabelos claros e olhos azuis.

Sua altura média era de mais ou menos 2 metros. Dimensões incomuns na antropologia da região. Outro ponto intrigante sobre essa cultura é sua linguagem. Eles se comunicavam sem fazer sons, apenas com o movimento dos lábios.

Para se comunicar a longas distâncias, eles emitiam um chiado que podia ser ouvido a até 15 quilômetros de distância. Isso está registrado no diário do nórdico Jean de Béthencourt, onde se refere à cidade de La Gomera: "La Gomera é a pátria das pessoas altas. Eles falam apenas com os lábios, como se não tivessem língua ".

ATENÇÃO: Respeite o conteúdo do SITE, não copie sem autorização (conteúdo protegido)

Fonte: Mystery Planet \ Vm granmisterio \ Ufologia Mundial