Os gigantes Loa: geóglifos titânicos de 480 metros são encontrados no norte do Chile

24/01/2021

A escrita também se parece muito com o cuneiforme criado pela cultura suméria. Se tudo isso for comprovado cientificamente, isso significaria uma mudança mundial e seria necessário reescrever a história das civilizações..

Alberto Nadgar Rojas, pesquisador, artista visual e fotógrafo, defende a existência no norte do Chile de uma antiga civilização de gigantes como hipótese para explicar o que podem ser os maiores geoglifos do mundo.

Ele explicou á famosa revista Ancient Origins que alguns geoglifos são atípicos porque contêm muitos desenhos e formas predominantemente geométricas, em comparação com os geoglifos antropomórficos clássicos da cultura Inca - o que é realmente estranho.

O próprio pesquisador descobriu os geoglifos há quatro anos e diz que eles são a evidência da existência de uma civilização que precedeu os incas em muitos e muitos anos.

Em sua opinião, a prova disso está em uma escrita que está presente em uma delas: a maior - que mede 480 metros (1574,8 pés). De acordo com sua hipótese, a escrita também sugere que os antigos sumérios ou egípcios poderiam ter visitado o norte do Chile há milhares de anos.

À esquerda: imagem de satélite do suposto geoglifo gigante descoberto pelo pesquisador chileno. Ele mede 480 metros de comprimento. À direita: uma representação gráfica do mesmo.

Também é bem possível que toda a região tenha sido um grande cenário multicultural ancestral e relacionado à astronomia, ou talvez à agricultura. Durante mais de quatro anos de pesquisa de Nadgar, ele encontrou evidências de grandes aquedutos de 3 e 4 vias e sulcos de vários quilômetros, junto com trilhas, ideogramas e simbolismo diverso.

Nadgar disse à revista que planeja usar um drone para capturar imagens de alta resolução do ar e estudar o local junto com um epigrafista especializado em escrita antiga. Para o pesquisador, essas culturas esquecidas e antigas "usavam o solo como se fosse um caderno de caligrafia com espaço equidistante para inscrever seus símbolos ou escrita, que em alguns casos são muito semelhantes aos sumérios ou hebraicos".

A seguir, esta sua própria versão dos fatos, a história de seu trabalho e suas conclusões até agora, escritas por Nadgar na primeira pessoa.

Há muito tempo, por volta de 3.000 a 5.000 anos a.C., havia uma raça de gigantes no oásis da atual cidade de Calama, medindo entre 3 a 5 metros (9,8-16,4 pés) de altura. Acredita-se que eles cultivaram a terra em um ambiente natural e úmido e trocaram suas safras, junto com sua cultura, para outros povos da América do Sul e outras culturas transoceânicas.

Calama vem da palavra Kara-Aama que significa "solo encharcado de água". Há muitas perguntas sobre esta cidade, com suas origens talvez vindo da Ásia, Europa ou África. Há evidências fotográficas que sugerem essa hipótese e, em meus quatro anos de pesquisa, compilei vários exemplos para apoiá-la. Obviamente, como todos os estudos, deve ser revisado e aceito por um órgão competente.

Duas das fotografias (satélite e ao nível do solo), onde se podem ver grandes geoglifos que representam figuras e possíveis letras ou ideogramas.

Traços de seres gigantescos

O local tem 6 x 2 quilômetros (3,7-1,2 milhas) e contém alguns dos enigmas mais importantes desta latitude: além dos geoglifos dessas criaturas gigantes que habitaram Loa há milhares de anos, obtive fotos onde pegadas são evidentes a cada 1,5 metros (4,9 pés)

O fotógrafo e pesquisador chileno tem imagens que mostram pegadas a cada 1,5 metro. As pegadas gigantes medem pelo menos 60 cm de comprimento.

Estas são pegadas gigantes com pelo menos 60 cm (23,6 polegadas) de comprimento. São tantos que fiz um estudo para determinar a proporção das pegadas em comparação com as de um ser humano normal, e os resultados concluíram que eles deveriam ter medido pelo menos 3,70 metros (12,1 pés) de altura.

Um Geoglifo Gigante de Barcos?

Na sequência de imagens a seguir, você pode ver como os seres podem ter alcançado essas latitudes talvez do Peru - já que também há registros que sugerem que eles também estavam naquela região.

Geoglifo de 200 metros chamado "A Chegada" pelo autor; em que vários barcos podem ser vistos com sua tripulação, animais e comida.

É uma sequência que consiste em um geoglifo medindo cerca de 200 metros (656,2 pés) de comprimento, que chamei de "A Chegada". Nele, barcos e provisões possíveis podem ser vistos junto com os velejadores.

Mallku, um geoglifo gigantesco e misterioso

Mas esse tipo de descoberta não é apenas notável por seus grandes tamanhos, mas também pela evidência da escrita em um dos geoglifos mais significativos, que atualmente é chamado de King Mallku, ou talvez Queen Mallku - parte de uma figura mais complexa que poderia representar um querubim.

Este geoglifo, que é o maior que encontrei, representa na minha opinião a figura estilizada de um rei ou rainha (deus ou deusa) desta cultura. Aparece com uma coroa na cabeça e na superfície uma palavra que tentei decifrar. A escrita lembra muito o hebraico arcaico, e cada letra é semelhante ao tamanho de um carro. De acordo com minhas interpretações, poderia ser a palavra "Deus".

Segundo o pesquisador e fotógrafo chileno, os textos gigantes são semelhantes a cuneiformes

Eu apliquei um filtro ao seguinte mosaico de imagens para detectar melhor linhas e contornos e obter uma melhor visão do texto.

Por outro lado, a escrita também se parece muito com o cuneiforme criado pela cultura suméria. Se tudo isso for comprovado cientificamente, isso significaria uma mudança mundial e seria necessário reescrever a história das civilizações que habitaram o planeta.