O mistério do beco dos ossos de baleia: quem o construiu e por quê?

07/12/2021

A história da raça humana é de constante interesse para nós. Muitos povos estranhos e desconhecidos caminharam na Terra antes de nós, e tudo o que vemos hoje contém um pedaço de história. Nossa história humana, a história de quem somos, é tão intrigante para nós quanto qualquer outra coisa neste planeta. Sem ela, não podemos nos conhecer.

A história, portanto, é como uma janela que se abre em diferentes portais e em diferentes momentos. Isso permite que as pessoas olhem para o passado, não apenas por mera curiosidade, mas também aprendam com ele. Somos únicos nesse sentido, o único na terra que se olha em retrospecto e aprende.

Um dos muitos tesouros intrigantes de nossa história antropológica é o Whale Bone Alley. Nas águas azuis varridas pelo vento do Mar de Bering, 24 km (15 milhas) a noroeste do Cabo Chaplino, na ponta mais oriental da Rússia, fica a Ilha Yttygran. Hoje, a ilha obscura é famosa por seu ecoturismo e trilhas históricas de viagem. E, o mais estranho, seus ossos de baleia.

A Ilha Yttygran contém os restos deixados por muitas tribos nativas, agora espalhadas ou extintas. Nas águas que cercam a ilha, baleias-beluga e baleias-bowhead podem ser vistas nadando. Essas baleias forneceram as matérias-primas que tornaram esta ilha famosa. A Ilha Yttygran e as baleias estão todas interligadas.

Ilha Yttygran

A Ilha Yttygran fica a 1,5 km (1 milha) da costa oriental da Ásia, ao sul do Círculo Polar Ártico. Sua localização no extremo leste da Rússia significa que também fica a pouco mais de 200 km (125 milhas) do Alasca, nos Estados Unidos.

A ilha é minúscula, com apenas 13,5 km (8,4 milhas) de comprimento e 5 km (3,1 milhas) de largura. A ilha pode ser pequena, mas tem uma história única para oferecer ao visitante. Por isso, e por sua beleza natural montanhosa, a ilha é hoje muito procurada como ponto turístico. O local faz parte da Federação Russa e esse turismo é a principal fonte de renda de seus residentes.

Whale Bone Alley

A Ilha Yttygran é mais famosa por um motivo muito peculiar. A ilha é o lar do Whale Bone Alley, um trecho de terra de 550 m (601 jardas) onde ossos e crânios de baleias gigantes pontilham a paisagem como estranhas pedras eretas antigas.

O Beco foi descoberto no ano de 1976, quando arqueólogos soviéticos encontraram o local enquanto exploravam a ilha. O local inicial que eles exploraram continha cerca de 34 ossos de baleias da espécie Bowhead. Esses ossos foram dispostos aproximadamente em uma linha, por isso os arqueólogos deram o nome de Beco dos Ossos de Baleia. O arranjo dos ossos de baleia data de 600 anos atrás e era extremamente incomum e interessante do ponto de vista antropológico.

Os ossos de baleia são enormes, pesando cerca de 300 kg (660 lb) cada. Os ossos foram enterrados profundamente na areia e são sustentados por pedras ao redor de suas bases. Os becos e fossos cruzam a região, e o padrão que eles formam levou os arqueólogos a acreditar que o local já foi muito maior e mais elaborado.

O que é este lugar?

Os historiadores que estudaram o local acreditam que o lugar já esteve cheio de crânios de baleia. O local também possui alguns poços, que se acredita serem usados para armazenar carne de baleia. Décadas se passaram desde a descoberta do local, mas os arqueólogos ainda não têm certeza sobre seu propósito.

Na ausência de um entendimento definitivo do local, existem muitas teorias selvagens em torno do Whale Bone Alley. Isso só aumenta a fama do local, atraindo turistas que querem ver os misteriosos arranjos por si próprios. Em termos da escala do mistério, o Beco tem tantas perguntas sem resposta quanto Stonehenge ou as Pirâmides de Gizé.

A teoria predominante é que a ilha Yttygran já foi habitada por tribos nativas Inuit, chamadas de "Yupik". Os Yupik eram conhecidos por caçar baleias, como fazem hoje, como a única fonte confiável de alimento naquela época. Teoriza-se que esses são resquícios daquelas baleias, que foram organizadas pelos povos tribais de uma forma decorativa.

Os arqueólogos acreditam que a tribo Yupik na ilha se fragmentou durante o período da "Pequena Idade do Gelo" e que houve violência entre as diferentes facções da tribo. Sob esta luz, Whale Bone Alley poderia ter sido construído como um santuário, marcando um território neutro onde as diferentes facções poderiam se encontrar e comer juntas sem medo de violência. As facções poderiam discutir seus problemas neste lugar e encontrar soluções juntas.

Os arqueólogos também acreditam que os homens da tribo podem ter participado de ofertas e rituais de sacrifício. No entanto, os detalhes de tais rituais de sacrifício ainda não foram encontrados. Os Yupiks que hoje vivem na região dizem que o lugar é apenas um antigo armazém de carne. Como a carne de baleia era um alimento básico para os ancestrais Yupik, há chances de que o Beco seja apenas um antigo açougue para baleias.

As investigações continuam no 'Beco dos Ossos da Baleia' e suas origens. O propósito disso pode ter morrido com os ancestrais da tribo Yupik. No entanto, o ar de enigma e isolamento que cerca o local até hoje o torna um dos locais históricos mais estranhos do mundo. Os cientistas continuam tentando entender o que aconteceu aqui e, enquanto isso, turistas de todo o mundo continuam a se juntar na ilha isolada

Quer o Whale Bone Alley seja um antigo santuário ou um açougue que atendia às necessidades mais simplistas do homem, é certamente uma marca excêntrica deixada pelo homem na história. Talvez um dia possamos entender o que esse lugar significava para o Yupik, há 600 anos.