O Gigante do Atacama

25/10/2020

Deserto do Atacama, Chile - 2013

Um rover autônomo cruzou essas terras aparentemente sem vida - sem condições para qualquer ser vivo progredir - em uma missão de duas semanas financiada pela NASA para coletar inúmeros tipos de amostras de solo embaixo da superfície desértica.

Essa região do Chile, é o lugar mais seco do planeta, não chove em algumas partes há séculos. Tornando-se assim, uma das áreas mais favoráveis na Terra para simular as condições planetárias de Marte.

Michael Masters (Professor de Antropologia \ Universidade Técnica de Montana): "Como o deserto do Atacama é muito parecido com o ambiente de Marte, é uma ferramenta de pesquisa muito útil para os astrobiólogos. Profissionais que estudam como existe vida em tais ambientes extremos, e quais são as semelhanças com o ambiente marciano."

No dia 28 de fevereiro de 2019, os resultados da missão foram publicados. Embora o rover tenha feito sua 'varredura' e busca nesse terreno aparentemente sem vida - já que o local tem condições muito extremas para qualquer ser vivo -, ele descobriu provas de micro-organismos vivendo bem abaixo da superfície.

Michael Masters (Professor de Antropologia \ Universidade Técnica de Montana): "A vida microbiana, no Atacama, é muito singular, e pode existir vida em um lugar improvável."

Seth Shostak (Astrônomo Sênior): "Todas as pessoas que foram até o deserto do Atacama no Chile, sabem que ele é bem diferente de tudo que você possa imaginar, existem algumas formas de vida bem antigas lá."

Os cientistas tem quase certeza que as amostras que serão retiradas futuramente do subsolo de Marte - em futuras missões que aconteceram muito em breve -, poderão revelar micróbios semelhantes e talvez até idênticos ao que encontramos nesse local em especifico na Terra.

David Childress (Autor, A Incrível Tecnologia dos Antigos): "Existem figuras esculpidas no deserto do Atacama, semelhantes com o que vemos em Nazca no Peru. São figuras gigantescas para serem vistas do céu."

As Linhas de Nazca no Peru, são o conjunto de geoglifos mais famoso da Terra, contendo mais de 1100 figuras, espalhadas em 400 quilômetros quadrados. Mas poucas pessoas sabem, que o deserto do Atacama do Chile abriga quase 5 vezes mais geoglifos que Nazca, contendo mais de 5.000 figuras cobrindo uma área de 233 mil quilômetros quadrados.

Michael Bradbury (Analista de Imagens): "O deserto do Atacama, tem um dos ambientes mais severos, se não for o mais severo do planeta. Então para as civilizações de anos atrás, esculpirem esses geoglifos no solo, sem duvida sabemos que não foi uma tarefa fácil."

Giorgio A. Tsoukalos (Editor, Revista Legendary Times): "De forma alguma, alguém faria tamanho esforço a menos que alguma coisa muito persuasiva e alguma coisa muito real tivesse acontecido com nossos ancestrais. Então eu acho que esta na hora de prestarmos mais atenção ao que nossos ancestrais realmente tentaram descrever."

Dos milhares de geoglifos no chile, um deles se destaca. O Gigante do Atacama mede 120 metros, 10 metros a mais que um campo de futebol. Ele fica em um declive antigo conhecido como Cerro Unitas.

Victor Hidalgo (Apresentador de Rádio): "Ao andar do lado dele, não conseguimos ver o formato, ele foi projetado e construído apenas para ser visto do céu."

David Childress (Autor, A Incrível Tecnologia dos Antigos): "Assim como em Nazca, parece ser um sinal para os deuses do céu e para aqueles que estão sobrevoando o deserto. Então pra quem estão sinalizando? Parece que é para os extraterrestres.."

William Henry (Autor \ Mitologista Investigativo): "O Gigante do Atacama tem o que parecem ser linhas saindo de sua área da cabeça, então temos que perguntar, são com esses seres que os construtores desse geoglifo estão tentando entrar em contato - seres ou entidades não humanas??"

Essas figuras retratadas no Atacama e em Nazca podem representar os visitantes extraterrestres conforme os teóricos dos antigos astronautas afirmam? Se a resposta for afirmativa, tanto as Linhas de Nazca, quanto os geoglifos do Atacama podem servir para um propósito maior?

History Channel \ Documentário