O artefato de alumínio de 20.000 anos que confunde os arqueólogos

21/05/2021

Um dos objetos mais enigmáticos da história arqueológica foi encontrado na Romênia; a 'Cunha Aiud', uma estranha peça de metal que foi classificada como "de origem desconhecida" e que gerou muitas teorias.

Um grupo de operários de construção encontrou 3 objetos misteriosos nas margens do rio Mures, na cidade de Aiud, em 1973.

Os objetos se encontravam a 10 metros de profundidade, presos em uma espécie de vala de areia.

Examinando-os, eles descobriram que 2 eram fósseis de mastodontes. No entanto, o terceiro era totalmente diferente; Era de uma peça de alumínio feita artificialmente.

Isso imediatamente causou grande polêmica entre os trabalhadores: como um pedaço de metal foi encontrado na mesma camada de dois fósseis de animais extintos há milhões de anos?

O misterioso objeto metálico encontrado próximo a fósseis... Um mistério que pode mudar o MUNDO

Após sua descoberta, a peça foi removida para exame; Tinha 19,8 centímetros de comprimento, 12,1 centímetros de largura e 7,1 centímetros de espessura. Além disso, concluiu-se que era de alumínio

As perguntas e a surpresa inicial continuaram instaladas nos pesquisadores, que dataram os fósseis de ossos com 2,5 milhões de anos. A peça de alumínio tinha pelo menos 250.000 anos (no mínimo).

Ainda assim, o trabalho feito na peça de metal era de alta tecnologia; tinha concavidades agudas e as bordas da cunha eram perfeitamente trabalhadas.

No entanto, a perplexidade aumentou ainda mais após a realização dos testes químicos. No laboratório em Lausanne, Suíça, os cientistas descobriram que a peça Aiud era feita de 12 metais diferentes .

Sua composição era de aproximadamente 89% de alumínio. Mas também foi encontrado 6,2% de cobre, 2,84% de silício, 1,81% de zinco, 0,41% de chumbo, 0,33% de lagoa, 0,2% de zircônio, 0,11% de cádmio, 0,0024% de níquel, 0,0023% de cobalto, 0,0003% de bismuto, 0,0002% de prata e gálio em pequenas quantidades.

Os especialistas garantiram que, de acordo com os metais em sua composição, parecia ter sido fabricado como parte de um complexo sistema mecânico avançado.

Obviamente, a surpresa foi ótima. O alumínio em sua forma mais pura, como a encontrada na cunha Aiud, não é encontrado na natureza e a tecnologia necessária para obtê-lo dificilmente era possível (ou melhor impossivel) no século XIX.

A composição química e a estrutura incomum simplesmente não faziam sentido. Adicione a isso os detalhes perfeitos, como os dois orifícios ovais perfeitos.

Teorias sobre a cunha de Aiud

Se a própria ciência não tem respostas claras para esse objeto enigmático, é normal que nasçam teorias.

Um dos mais propostos é que a peça faça parte de uma ferramenta atual, algo simplesmente impossível devido à camada em que foi enterrada - logo essa teoria foi descartada.

No entanto, cientistas e especialistas aeronáuticos afirmaram que a cunha Aiud parece ser uma versão menor do fulcro de um módulo de exploração espacial.

Ao fazer a comparação, podemos encontrar semelhança com o fulcro do Módulo Lunar e com a perna da sonda Viking.

Essa versão, como esperado, gerou muita polêmica dentro da comunidade científica; era estranho testemunhar especialistas sugerindo que a peça poderia pertencer a uma nave espacial que voou em tempos muito, mais muito antigos.

Mas ainda há muitas perguntas a serem respondidas; A antiguidade datada através do exame do óxido e da camada geológica em que foi encontrado gera muitas contradições. Qual a função que essa tecnologia moderna poderia ter em um passado tão remoto?

A cunha Aiud foi "doada" ao Museu Nacional de História da Transilvânia, na cidade de Cluj-Napoca, Romênia. Lá, ele foi encaixotado e deixado em um depósito por 20 anos, até que membros da comunidade ufológica romena o encontraram em 1995.

Graças a isso, o museu o exibiu com uma placa que dizia "Origem desconhecida". Mas depois de alguns anos ele deixou de fazer parte da exposição e permaneceu escondido. Estranhamente, a cunha foi mostrada ao público novamente em 18 de janeiro de 2017.

Ufólogos renomados, como Erich von Däniken e Giorgio A. Tsoukalos, tiveram a oportunidade de observar a Cunha de Aiud. Ambos afirmaram que a peça era muito mais pesada do que esperavam e que era simplesmente impossível atribuí-la à lógica arqueológica tradicional.

Fonte: History Channel  \ Ufologia Mundial \ Caçadores de Mistérios \ Ancient Code \ Anciente Aliens \ Ancient Origens \