O ambicioso projeto chinês para a manipulação do clima

11/05/2021

Já tem algum tempo que o governo chinês promove programas e projetos de controle do clima. Mais recentemente, o país novamente se tornou notícia ao informar que tem como objetivo expandir significativamente suas habilidades operacionais nesse campo (controle do clima).

A ideia é elevar (consideravelmente) a quantidade de chuva ou neve artificial para cobrir quase 6 milhões de quilômetros quadrados até 2025. Para tornar isso possivel, a China irá investir em um projeto de "semeadura" de nuvens.

Segundo o Conselho de Estado da China, o ambicioso projeto auxiliará no socorro a desastres, na produção agrícola (consideravelmente), na quase imediata ação contra incêndios em florestas e pastagens, bem no controle total de altas temperaturas ou secas que não seriam mais um grande problema.

A "semeadura" consiste na pulverização de substâncias como o iodeto de prata nas nuvens, para tentar fazê-las produzir chuva. Essa não é uma formula recente ou mesmo atual, os primeiros testes tiveram inicio de fato na década de 1940, principalmente nos Estados Unidos.

Mas esse projeto já vem causando um grande 'barulho' antes mesmo de inciar. Alguns países notificaram que a falta de coordenação nas atividades de manipulação do clima pode levar a acusações de "roubo de chuva" entre países vizinhos.

De acordo com Dhanasree Jayaram, especialista em clima na Academia Manipal de Educação Superior, em Karnataka, Índia, o ambicioso projeto poderia prejudicar significativamente as monções de verão no território indiano, fenômeno climático que causa fortes tempestades e secas compridas durante diferentes períodos do ano.

Fora isso, o maior medo da região não é tanto com a semeadura de nuvens, mas provavelmente com a ideia de que os chineses implementem outras avançadas tecnologias de geoengenharia, como o gerenciamento ou controle da radiação solar, sem informar aos seus vizinhos. Como a China tem relações tensas com países como a Índia, isso poderia ser mais outra fonte de atritos.

Fonte