Mascara maia gigante do tamanho de uma pessoa é encontrada em Yucatan, México.

26/01/2021

Uma descoberta importante foi feita no México: uma máscara maia do tamanho de uma pessoa.

Uma máscara maia gigante da altura de uma pessoa foi revelada em um sítio arqueológico no estado mexicano de Yucatán.

A máscara, que representa o rosto de uma divindade desconhecida ou de uma pessoa de elite, foi esculpida no estuque do material de construção e remonta a um período da história maia conhecido como Pré-clássico tardio (cerca de 300 aC - 250 dC), de acordo com o meio de comunicação Novedades Yucatán.

A descoberta foi feita no sítio arqueológico de Ucanha, próximo à atual cidade de Motul, e desde então (2017) pesquisadores do Instituto Nacional de Antropologia e História do México (INAH) têm trabalhado bastante para restaurá-la.

Máscaras de estuque como esta "representam os rostos de indivíduos com características particulares que podem ser associadas a divindades ou figuras de status social proeminente", disse o INAH em um comunicado.

A máscara é um relevo de estuque, um tipo de escultura pintada em cores vivas esculpida em um fundo de estuque. Os maias costumavam colocar essas máscaras ao redor de escadas com bases piramidais, segundo o comunicado. 

Arqueólogos encontraram relevos semelhantes em Acanceh e Izamal, mas este é o primeiro em Ucanha. A descoberta faz parte de uma investigação em andamento sobre os montes maias encontrados no local.

A máscara foi enterrada temporariamente após sua descoberta para que a estrutura fosse protegida até que pudesse ser devidamente estudada e preservada. 

Amostras retiradas da estrutura revelaram deterioração e ela foi escavada novamente em 2018 para que os arqueólogos pudessem restaurá-la.

Durante o processo de restauração e conservação, os arqueólogos reforçaram as partes frágeis da máscara. 

Eles também limparam as superfícies para realçar os padrões e cores da máscara. Também limparam as superfícies para realçar os padrões e cores da máscara.

Os arqueólogos concluíram praticamente todo o trabalho em 2019. O INAH disse que o objetivo desses esforços é garantir a preservação total a longo prazo da máscara no local até mesmo para estudos futuros e pesquisas.