O ouro dos DEUSES e seus mistérios.. Conhecimento vindo do espaço!!

17/11/2021

O ouro como metal sempre desempenhou um papel essencial no mundo antigo, reverenciado como um elemento de poder.

Tal adesão, no entanto, constitui um mistério, considerando-se seu pouco uso em outras áreas de importância para esses povos, se considerarmos sua utilidade na guerra ou na agricultura, áreas onde o ouro parece não ocupar lugar.

No entanto, o fascínio pelo ouro está longe de diminuir, já que estudos recentes que parecem demonstrar suas propriedades ocultas estão apenas começando a surgir.

Origens enigmáticas do ouro

Por que encontramos pepitas de ouro na superfície da Terra? A resposta para isso é que elas vieram do espaço na forma de meteoritos. Reflexão do cientista e escritor John Emsley.

Há alguma controvérsia sobre como o ouro teria surgido em nosso planeta. Algumas teses postulam que o metal dourado, cujo nome remonta ao termo latino Aurum (aura resplandecente), é nativo da Terra. Para sustentar essa primeira opinião, o mundo científico postula, há 4.500 anos o ouro se fundiu com o ferro, ambos migrando em direção ao centro da Terra, mais conhecido como manto terrestre.

Uma parte dessa liga, calculada em 0,2%, "se dissolveu no oceano de Magna, a 700 quilômetros de profundidade no manto externo". Após esse processo, o ouro ressurgiu na superfície da Terra por meio de atividade vulcânica. Um ponto de interrogação com relação a esta primeira hipótese é que ela impediria o ouro de derreter dentro do poderoso magma terrestre.

"O ouro é um elemento solúvel, mais do que se acredita, permitindo sua durabilidade mesmo em condições difíceis."

Mas a hipótese local fica comprometida ao se considerar uma proposta mais radical, que nos últimos anos vem ganhando terreno. De acordo com esta nova visão, uma antiga chuva de meteoros banhada a ouro explicaria sua existência na Terra.

Aparentemente, conforme explicado pelo geólogo do Imperial College London, Mathias Wilbord:

"Depois que o núcleo da Terra foi formado, houve uma chuva de meteoros que atingiu a Terra. Esses meteoritos continham uma certa quantidade de ouro, que encheu o manto da Terra e a crosta continental com ouro."

Um fato também interessante é que os meteoritos talvez pudessem ter vindo do cinturão de asteroides, erguido entre as órbitas de Marte e Júpiter, é possível que esses asteroides sejam os restos de um antigo planeta desaparecido destruído no passado. Atualmente uma pista parece ligar esse mistério..

É o asteroide Psyche 16, descoberto em 1852, e que tem a peculiaridade de ser composto por metais muito ricos, como ferro, níquel, platina e até ouro. Alguns estudos referem que Psiquê 16, apelidado de "o asteroide dourado", poderia fazer parte do núcleo daquele planeta destruído, causando a este confronto, uma verdadeira revolução no mundo científico.

Tamanha é a sua importância, que a NASA prepara o envio de uma sonda, a SpaceX, projetada para estudar a gigantesca rocha metálica, prevista para a incrível missão de 2022.

Quem também promove essa panspermia cósmica, na tentativa de explicar a existência do ouro na Terra, são os físicos nucleares, que acham impossível que esse metal seja natural no planeta. Essas conclusões se baseiam no fato de que, como o ouro se forma pela fusão do ferro e do urânio, para sua composição é necessária uma grande quantidade de energia nuclear impossível de ser obtida na Terra.

O poder do ouro e sua adesão aos povos antigos

Uma das grandes questões sobre o ouro é por que ele alcançou tal relevância nos povos antigos.

É também um material cem por cento puro, "maleável", também reconhecido como grande condutor de calor e eletricidade. Não corrói nem enferruja, e é um metal que tende a tolerar melhor a passagem do tempo. Ao contrário de outros metais, o ouro tem um brilhante e uma beleza ofuscante.

Essa durabilidade nos faz começar a entender melhor seus vínculos com povos antigos, que sempre reconheceram essas características. A elite dominante foi a primeira a adotar o ouro, usado para enfatizar o status e a hierarquia. Também era usado como adorno corporal. E serviu de meio de valor para selar acordos.

Isso faz com que sua fraqueza no campo da guerra e da agricultura seja esquecida, tornando-o inútil nessas atividades. Mas essas deficiências pareciam ter pouca importância em sua ascensão como elemento de poder.

Uma das primeiras civilizações a reverenciá-lo foi o Egito, onde o ouro era visto como "a carne do próprio Rá", considerado por sua cosmovisão religiosa, "deus do sol e rei dos deuses".

O ouro e o segredo do Quetzalcoatl

Ao contrário da Europa e do Oriente, onde a corrida do ouro estava se espalhando, as civilizações da Mesoamérica honraram o ouro como parte de suas divindades. Os astecas o chamavam de excremento dos deuses, bem como de lágrimas divinas.

Os maias também o reverenciavam como um legado da estrela solar. Ambos o usavam na ourivesaria, embora seu uso fosse reservado às classes dominantes. Geralmente, o ouro era obtido por meio do pagamento de tributos exigidos dos povos conquistados, transações comerciais e trabalhos de mineração, que então já faziam uso de técnicas muito avançadas.

É interessante observar que os maias e astecas citam os antigos toltecas, como seus instrutores na extração do ouro, afirmando que o povo sabia como explorá-lo e os lugares escondidos onde se escondia. Os toltecas também disseram a esses povos que foi o misterioso mestre naga da serpente, Quetzacoatl, que lhes transmitiu esse conhecimento secreto sobre o ouro. Acredita-se que os toltecas foram os misteriosos construtores de Teotihuacan.

Conexão alienígena

Há teorias sugerindo que os alienígenas ou deuses vieram até a Terra e criaram os humanos para extraírem o ouro para eles. Avistamentos de OVNIs também são comuns próximos de minas e vulcões, onde recentemente foi mostrado que o calor do magma derrete o ouro preso em rochas vulcânicas.