O mosaico de Oklahoma: Uma misteriosa estrutura que poderia reescrever a historia da humanidade

07/01/2022

Uma misteriosa estrutura antediluviana foi descoberta há muitas décadas. Foi chamado de "Mosaico de Oklahoma" por causa de sua aparência. No entanto, sua origem é um enigma completo até hoje. Em 1969, operários da construção civil em Oklahoma, nos Estados Unidos, toparam com uma estrutura que parecia ser feita pelo homem e, de acordo com muitos autores, poderia reescrever a história não apenas dos Estados Unidos, mas também do mundo.

Essa estrutura, que parece um piso de mosaico de pedra, foi encontrada em uma camada que os especialistas datam de 200 mil anos. Ao mesmo tempo, é oficialmente aceito que as primeiras pessoas vieram para a América do Norte apenas cerca de 22-19 mil anos atrás. Um artigo sobre essa estranha descoberta foi publicado pela primeira vez no jornal "The Oklahoman" logo após sua descoberta, gerando um acalorado debate entre especialistas e também leitores comuns. O artigo também publicou várias fotos em preto e branco desse "mosaico", que até hoje são as únicas imagens remanescentes dessa estrutura.

Provas de uma descoberta "perdida"

Embora até à data esta descoberta surpreendente esteja perdida na história, existem registos escritos e fotográficos. Em uma postagem, Durwood Pate, um geólogo de Oklahoma City que estudou o local em questão, escreveu o seguinte:

"Tenho certeza de que foi feito por humanos porque as pedras foram dispostas em conjuntos perfeitos de linhas paralelas que se cruzaram para formar uma forma de diamante, todas apontando para o leste. Também encontramos um orifício para o poste (pilar) que é perfeitamente plano. Os topos das rochas são muito lisos, e se você pegar uma delas, encontrará algo que indica desgaste na superfície. Tudo esta muito bem posicionado para ser algo natural, alguém fez isso."

O Dr. Robert Bell, arqueólogo da Universidade de Oklahoma, expressou uma opinião diferente, dizendo que a descoberta é uma formação natural. Mas Pate, por outro lado, encontrou uma substância esbranquiçada entre cada pedra. Delbert Smith, geólogo e presidente da Oklahoma Seismgraph Company, disse que a estrutura, que foi descoberta cerca de 3 pés abaixo da superfície, parece cobrir uma área de vários milhares de metros quadrados.

Smith disse:

"Nenhuma dúvida sobre isso. Claramente alguém fez, mas eu não tenho ideia de quem poderia ter feito isso. "

Amostras da descoberta foram coletadas

De acordo com o jornal, Delbert Smith, presidente da Oklahoma Seismgraph Co. e ex-presidente da Oklahoma City Geophysical Society, e Durwood Pate, um geólogo de petróleo autônomo, vieram ao local para estudar a formação e coletar amostras.

Smith adicionou:

"Estou convencido de que esta não é uma formação terrestre natural, mas algo criado por alguém inteligente no passado."

Dois dias depois, em 29 de junho de 1969, um novo artigo sobre essa descoberta apareceu no jornal "Tulsa World". Lá as palavras de Delbert Smith receberam muito mais consideração e a datação do objeto foi mencionada pela primeira vez:

"As opiniões divergem quanto à geologia envolvida, mas as estimativas mais precisas da idade destes ladrilhos são de 200 mil anos ".

A investigação continuou

Em 1º de julho de 1969, o jornal "The Oklahoman" escreveu sobre a descoberta de um segundo buraco no "mosaico". As medições mostraram que os dois furos estão separados por 5 metros. A rocha de que o mosaico é feito é calcário permiano com uma mistura de grãos de quartzo.

Em 3 de julho, o jornal The Oklahoman continuou sua cobertura da descoberta, observando que, de acordo com relatos de arqueólogos, um "martelo de pedra antigo" também foi encontrado no local.

Os relatórios afirmam:

"O mistério da formação de calcário dolomita descoberto entre Oklahoma City e Edmond foi exacerbado na quarta-feira pela descoberta de um objeto semelhante a um martelo no local. Os geólogos que prestaram atenção à formação incomum acharam difícil explicar a origem da formação ou artefato. "

John M. Ware, um geólogo de Oklahoma City, também disse:

"Simplesmente não pode ser explicado em termos de geologia; precisamos de um arqueólogo para dar a opinião final ".

Uma antiguidade inexplicável

A idade da estrutura e as origens permanecem um mistério até hoje, já que nenhuma explicação adicional ou nova foi fornecida a esse respeito.

Os relatórios antigos também indicavam:

"Em 20 dias, as construtoras continuarão os trabalhos de escavação na área para iniciar a construção de um armazém de alimentos. Outra característica intrigante da rocha é que ela contém sedimentos marinhos, indicando que já foi o fundo do oceano."

Pate também observou que a formação de 30 por 18 metros estava rapidamente se tornando uma atração turística.

Pate disse: "As pessoas vão lá e arrancam pedaços de pedra. Devemos protegê-lo até que algo seja feito para determinar sua origem. "

ATENÇÃO: Não copie sem autorização, material protegido (direitos autorais)