A surpreendente cidade do antigo Egito encontrada no fundo do mar

25/10/2021

Por muito tempo foi considerada apenas uma lenda, até que uma impressionante descoberta no fundo do mar revelou que ela não apenas existia, mas que era uma das cidades mais importantes do antigo Egito.

Tinha dois nomes: os gregos o chamavam de Heracleion, mas os egípcios o chamavam de Thonis . Graças ao material arqueológico encontrado, os egiptólogos finalmente resolveram um enigma que tinham há anos, verificando que os dois nomes se referiam ao mesmo lugar. 

O achado 

Na baía de Abukir, a 6,5 ​​quilômetros da atual costa do Egito, submersa a 10 metros de profundidade, foram encontrados os impressionantes vestígios desta cidade portuária. O Instituto Europeu de Arqueologia Subaquática ( IEASM ) liderado por Franck Goddio, em colaboração com o Conselho Supremo de Antiguidades Egípcias, conseguiu localizar e escavar a cidade. 

A pesquisa começou em 1996, mas as primeiras descobertas aconteceram no ano 2000. Primeiro, uma parede, e atrás dela os restos de um vasto templo egípcio antigo. 

Mas o templo foi apenas o começo. Os especialistas encontraram os restos de uma cidade inteira: casas, prédios públicos e mais templos em uma área de cerca de dois quilômetros de comprimento e um de largura. Eles também encontraram estátuas colossais de pedra e bronze, vasos cerimoniais, ouro, joias e moedas, que representam a glória que a cidade já teve. 

Como estava a cidade 

Em sua época, Thonis-Heracleion era uma cidade de grande importância econômica, religiosa e política no Egito. O templo dominava o centro da cidade, em torno do qual havia canais que certamente lhe davam a aparência de um lago. 

As escavações trouxeram um belo material arqueológico, como as estátuas de bronze. Ao norte do templo de Hércules, um grande canal cruzava a cidade de leste a oeste e conectava o canal do porto com um lago a oeste. Todos os navios do mundo grego tiveram que passar por este porto para entrar no Egito pelo rio Nilo, algo que sem dúvida contribuiu para sua riqueza. 

Além disso, a cidade tinha grande importância religiosa, pois ali estava o templo de Amon, um ídolo que desempenhou um papel importante nos ritos associados à continuidade da dinastia. 

Tesouros de madeira 

Um dos tesouros arqueológicos mais importantes que encontraram foi a maior coleção de naufrágios antigos já descoberta. O IEASM encontrou restos de mais de 60 navios e 700 tipos de âncoras localizados a cerca de uma milha da foz do Nilo, alguns deles nunca vistos. Não deveria ser um simples abandono de navios , mas uma forma de bloquear a passagem de navios inimigos para que eles não acessassem a cidade portuária. 

Por outro lado, também é possível que todos esses navios naufragassem para reivindicar certas propriedades. 

A Estela de Thonis-Heracleion 

Outro achado surpreendente foi uma estela de granito preto com mais de dois metros de altura, coberta de hieróglifos. A arqueóloga marítima Lucy Blue explicou que a estela é um decreto público esculpido e que foi encontrada enterrada no coração da cidade. 

Ela também observou que a estela sobreviveu completamente intacta por mais de 2.000 anos. Segundo o especialista, as mensagens na estela revelam que Heracleion "era um porto vital" para o Egito antigo. Os hieróglifos detalham os impostos cobrados sobre os muitos navios que vieram do exterior. 

Importância na política da cidade

Os arqueólogos subaquáticos encontraram uma grande caixa de pedra dentro do templo de Hércules. Era uma "Naus", o centro sagrado do templo.

Esculpidos na pedra, eles encontraram uma descrição do que cada faraó teve que fazer para legitimar seu poder. Isso significa que Heracleion era o lugar para onde os novos faraós deveriam ir para legitimar seu reinado.

Seu fim

Segundo os cientistas, a cidade afundou porque foi construída sobre os sedimentos instáveis ​​do Delta do Nilo. Ironicamente, o mesmo solo permitiu que fosse preservado de forma tão incrível no fundo do mar. O barro do Nilo foi depositado em cima dos restos da cidade, preservando-os completamente.