Arqueologia Proibida: como foi construído o imenso mundo subterrâneo do Egito Antigo sob a pirâmide de degraus?

24/03/2021

Há cerca de 4.700 anos, e usando ferramentas, técnicas e meios desconhecidos, os antigos construtores escavaram um enorme submundo de 5,7 quilômetros abaixo da primeira pirâmide do antigo Egito.

Das mais de 120 pirâmides do Egito, nenhuma é tão única e impressionante como a Grande Pirâmide de Gizé. Erguendo-se no planalto de Gizé e flanqueado por duas pirâmides menores, esta estrutura maciça e elevada se destacou como a construção humana mais alta na superfície do planeta por mais de 3.800 anos.

Os egiptólogos tradicionais a veem como o ápice da construção de uma pirâmide egípcia antiga, argumentando que a estrutura foi encomendada há cerca de 4.500 anos pelo Faraó Khufu da Quarta Dinastia - segundo a arqueologia tradicional.

Construída com mais de 2,3 milhões de blocos de pedra e um peso total calculado em cerca de 6,5 milhões de toneladas, os egiptólogos afirmam que a Grande Pirâmide de Gizé foi construída em não mais de 20 anos e serviu como tumba real do rei Khufu.

Os egiptólogos se recusam a considerar qualquer outro Faraó como o construtor da estrutura. Eles dizem que é mais do que claro que a pirâmide foi construída 4.500 anos atrás, embora não tenhamos encontrado um texto antigo que realmente confirme a data e o propósito da Grande Pirâmide até os dias de hoje. Isso é realmente incomum e difícil de entender..

Não muito longe de Gizé, onde a Grande Pirâmide foi construída, mais tarde, o Rei Djoser escolheu Saqqara como o local onde um jovem arquiteto chamado Imhotep iria construir o segundo monumento de Djoser.

Os estudiosos veem o monumento de Djoser como mastaba como um transformador da história. Acredita-se que os reis que reinaram antes de Djoser construíram monumentos - tumbas reais - na forma de uma grande mastaba de tijolos de barro.

A história egípcia atribui a Imhotep, o arquiteto real de Djoser, e vizir o primeiro uso de pedra na construção. Embora os antigos egípcios usassem pedras antes da época de Imhotep, a estrutura que Imhotep construiu é vista como o primeiro grande monumento independente construído em pedra.

Em outras palavras, o monumento construído por Imhotep é visto como uma superestrutura construída inteiramente em blocos de pedra.

Isso supostamente ocorreu por volta de 2.780 AC.

O monumento de Imhotep é fascinante por vários motivos. Os especialistas vêem a pirâmide de Djoser como um exemplo genial de grande engenharia e arquitetura egípcia florescente.

Todo o complexo da pirâmide em Saqqara era cercado por uma enorme parede de pedra calcária branca e fina que fechava a pirâmide e suas estruturas. Acredita-se que esta sensacional parede já teve 20 côvados egípcios (10,4) metros de altura, medindo 545 metros de norte a sul e 277 metros de leste a oeste. Construído com até 14 portões, treze foram simulados, pois há apenas uma entrada é real.

Tal era a beleza e elegância do complexo da pirâmide de Djoser; era admirado até na antiguidade.

Possível forma de construção segundo a historia tradicional 

Os egiptólogos acreditam que a pirâmide de degraus foi construída passando por várias alternâncias diferentes e drásticas. Mesmo antes de os construtores decidirem construir a primeira "mastaba retangular", ela cravou um enorme poço na rocha de Saqqara, com 28 metros de profundidade e 7 metros quadrados.

Eles escavariam e construiriam uma câmara oblonga de blocos de granito e cortariam um túnel que se estendia ao norte por cerca de 20 metros, levando a uma entrada original fora da mastaba original. No entanto, a entrada para a câmara era feita por um buraco redondo no teto de uma sala de calcário que agora está destruída acima dela.

Por fim, Imhotep mandou construir a primeira mastaba e depois outra. Eventualmente, a entrada original da seção foi bloqueada. Mais ao norte é onde os construtores cortaram uma nova entrada.

No entanto, em vez de conectar o túnel recém-construído com o antigo, eles decidiram - por razões que ainda não estão claras - fazer escavações, eventualmente carregando-o pelas galerias e passagens até encontrar o primeiro túnel em seu final.

Argumenta-se que a mastaba inicial (nível 1) da pirâmide de degraus foi a primeira mastaba construída com planta quadrada. Cada lado do monumento mede cerca de 63 metros de comprimento e não mais que 8 metros de altura. Seu núcleo foi construído com calcário local.

Alguns anos se passaram e Imhotep decidiu aumentar a mastaba. A sua primeira extensão viu o monumento expandir-se 3 metros para todos os lados.

A segunda expansão da estrutura, que se acredita ter sido feita alguns anos após a primeira, 'viu' os construtores adicionarem cerca de 9 metros no lado oriental, produzindo uma estrutura retangular.

O novo monumento foi revestido com pedra calcária branca, mas antes que os construtores terminassem o revestimento, a estrutura foi estendida em cerca de 3 metros de cada lado. Isso eventualmente deu origem à seção mais baixa da pirâmide de degraus, consistindo de quatro mastabas sobrepostas uma acima da outra.

Acredita-se que essa tenha sido a alteração final de Imhotep. No entanto, antes do novo revestimento ser colocado, Imhotep decidiu aumentar ainda mais a estrutura. A pirâmide foi então estendida para o norte e para o oeste, e Imhotep decidiu adicionar mais duas mastabas em cima das quatro anteriores. Antes que isso fosse feito, os construtores adicionaram um pouco em cada um dos lados.

Isso resultou em uma pirâmide de seis degraus. Acredita-se que, após a conclusão, a Pirâmide Escalonada media 118 metros de norte a sul, ficando com 60 metros de altura.

Essencialmente, era uma estrutura maciça e única, quase agindo como uma escada para o céu.

No entanto, os elementos acima do solo da pirâmide de Djoser são apenas uma pequena parte da superestrutura majestosa em Saqqara.

Abaixo do monumento real de Djoser, a possivel primeira pirâmide egípcia, está um enorme mundo subterrâneo de 5,7 quilômetros de comprimento.

O complexo da pirâmide de degraus foi um projeto de construção sem precedentes na história egípcia antiga, e o mundo abaixo do complexo é fascinante em tamanho e complexidade. Abaixo da pirâmide, os antigos construtores escavaram e construíram uma estrutura subterrânea em uma escala até então desconhecida, retirando mais de 5,7 quilômetros de poços, câmaras, túneis, depósitos e galerias.. Um projeto incrivelmente avançado.

Essencialmente, era um enorme mundo subterrâneo.

Como isso foi conseguido e até que ponto os construtores escavaram o enorme mundo subterrâneo permanecem desconhecidos.. No entanto, o enorme projeto de extrair essa quantidade de material de baixo da superfície é algo que nunca mais se repetiria em qualquer outra pirâmide egípcia encontrada até hoje.

Nem mesmo a Grande Pirâmide de Gizé apresenta um mundo subterrâneo tão extenso e intrincado.

É talvez um mistério cada vez maior o por que não há documentos escritos que detalhem as técnicas, meios e ferramentas usados pelos construtores não apenas para construir a pirâmide de degraus mas as outras estruturas adjacentes.

Estranhamente, também não existem fontes ou textos que expliquem o uso de quais métodos de escavação, quais ferramentas e quais técnicas os antigos construtores conseguiram escavar um mundo subterrâneo tão extenso sob a pirâmide.

Um mistério ainda maior é por que nenhum outro Pahaoh (caso realmente eles sejam os responsáveis) além de Djoser optou por construir um vasto complexo subterrâneo sob a pirâmide.

Fonte: Ancient Origins \ Ancient Code \ Wiki

Não copie sem autorização, respeite o conteúdo do site!! Material protegido