Antigos Textos Hindus e a semelhança com a Física Quântica: O Tempo não é linear, e a realidade que notamos é uma ilusão

06/06/2021

Textos hindus incrivelmente antigos, como os Vedas, nos mostram claramente descrições da física quântica. Físicos como Erwin Schrödinger e Werner Heisenberg notaram isso.

Segundo o que menciona os Vedas, há uma realidade ou mesmo dimensão transcendental e infinita que não podemos observar. Essa dimensão universal é Brahman, um conceito divino muito parecido ao campo unificado de Einstein (O termo foi mencionado por Albert Einstein que tentou unificar a teoria da relatividade geral com o eletromagnetismo). Este Brahman também nos mostra um fenômeno de emaranhamento quântico, uma vez que interferiria conosco à distância de forma energética.

Os Vedas datam de 1.500 a.C., surgindo de ensinamentos orais que foram os grandes precursores do hinduísmo. Sua seção filosófica é a dos Upanishads, sem duvida a mais interessante para físicos e matemáticos.

Brahman, Atman e física quântica

Os hindus no passado estavam muito interessados e acostumados com vários tipos de conceitos matemáticos. Um grande exemplo disso, o número zero (शून्य (śūnya) apareceu na Índia e está ligado diretamente ao vazio. Em relação ao zero, Brahman é uma divindade infinita e transcendente, mas sem apresentar qualquer tipo de forma (basicamente é um zero infinito).

Segundo o que menciona os Vedas, Brahman é encontrado (ou mesmo esta) em todo o nosso vasto universo, é simplesmente uma enorme região onde nossa própria realidade (onde vivemos) e outras realidades paralelas (como a realidade divina e outras dimensões diferentes) se encontram. Brahman também se manifesta em todos os tipos de forma e objetos presentes no universo.

Como podemos notar, Brahman coincide significativamente com o conceito de não localidade quântica, em que as partículas podem afetar e alterar outras pessoas não importando sua distancia. Também com o emaranhamento quântico, onde duas partículas que até então interagiam, se separam totalmente mas continuam a interagir entre elas à distância. Atman é uma separação de Brahman, mas ainda assim Brahman continua a influenciar Atman (Atman é a alma individual de cada ser humano).

Os Vedas nos apresentavam um conhecimento avançado muito a frente de seu tempo na visão de cientistas como Niels Bohr, Werner Heisenberg, Erwin Schrödinger e até Albert Einstein. Uma grande demonstração disso é o conceito quântico da função de onda, que mostra uma partícula em todos os seus diversos e diferentes estados, incluindo até mesmo o passado, presente e futuro. A função de onda coincide perfeitamente com o tempo de Brahman não linear (gravidade quântica em loop: a teoria em que espaço e tempo simplesmente não existem). Além disso, ele representa todos os estados em um e o Atman seria um único tipo de estado.

Os Vedas e o campo unificado

A física quântica fala do campo unificado, um único campo e raiz de todas as forças (como gravidade e eletromagnetismo). A matéria não é sólida como imaginamos, mas como um tipo de condensação energética em uma parte do gigantesco campo unificado. De lá tudo surgiu, sendo como Brahman, que os Vedas dizem que é consciente e inteligente.

Por sua vez, o físico Werner Heisenberg postulou seu Princípio da incerteza de Heisenberg em 1927. Lá ele informa que nós não podemos medir tudo em uma única partícula, pois ela tem uma natureza de onda e tem muitos estados quânticos todos juntos ao mesmo tempo (mesmo: Brahman tem todos os estados e o Atman é um estado).

A realidade é na verdade uma ilusão

O campo unificado ou Brahman é a realidade universal; a realidade que notamos e vivemos é uma mera ilusão, apenas uma parte separada desse campo divino. Deve-se estar conscientemente ciente disso e assim será percebido como deve ser.

Existem algumas formas para nos auxiliar a espiar essa dimensão. São diversos métodos de meditação e concentração (hindu, budista, etc.). As outras realidades são manifestações de Brahman e são totalmente ilusórias. No entanto, eles ganham uma forma definida graças a um observador. Novamente isso pode estar ligado à teoria do efeito do observador da física quântica (Na física, o efeito do observador são as mudanças que o ato de observação irá fazer em um fenômeno que está sendo observado).

Atrás de nossa percepção, existe uma realidade infinita e adimensional. Os 5 sentidos humanos apenas nos fazem notar uma minúscula fração dessa realidade. O tempo não é realmente linear, sem passado, presente ou futuro... É exatamente assim que se lê nos Vedas hindus, que comprovam que as civilizações antigas adquiriram conhecimentos avançados, precursores da física quântica. Algo que os grandes cientistas levaram em consideração.


ATENÇÃO: Não copie sem pedir autorização, material protegido por direitos autorais