A Tabua de Shamash: Um portal para se comunicar com os Deuses extraterrestres

Antigamente, dizia-se que Shamash viajava pelos céus em sua carruagem solar e via tudo o que acontecia na Terra de cima.

Pesquisadores e especialistas argumentam que a tabua do antigo Deus Sol Shamash e os símbolos representados nela são evidências indiscutíveis de "tecnologia avançada antiga".

Shamash é o antigo deus mesopotâmico do sol, justiça, moralidade e verdade, famoso por sua bondade e generosidade. Ele é o irmão gêmeo da divindade do firmamento Inana ou Ishtar, como é chamado no épico assírio-babilônico.

Nele, Shamash também é encontrado com outro nome: Utu. Mas em ambos os eventos, a essência das divindades é absolutamente idêntica.

De acordo com os mitos sumérios, o par de gêmeos era exageradamente próximo na ocasião. Antigamente, dizia-se que Shamash viajava pelos céus em sua carruagem solar e via tudo o que acontecia na Terra de cima.

À noite, ele viajou pelo submundo, cavalgando para o leste e se preparando para o recente amanhecer.

Shamash ou Utu era adorado como o executor da justiça divina e as pessoas afirmavam que ele ajudava e protegia os necessitados. da mesma forma, além dos vivos, é um dos juízes dos falecidos, cujas sentenças são proferidas à noite.

As primeiras fontes em que o deus sumério do sol é nomeado são da mais profunda antiguidade: 3500 a.C.. Aqui está tudo o que você precisa saber sobre o enigma da tabua Shamash.

A Tabua Shamash

Hoje, vamos tentar clarear algumas coisas sobre isso. Vamos transportar nossas mentes para a atual Tel Abu Habba, Iraque.

Na antiguidade, conhecida como Sippar ou Zimbir, era uma metrópole suméria do Oriente Médio, mais tarde babilônica, na margem leste do rio Eufrates.

A metrópole está localizada no deserto iraquiano, a menos de 30 km de Bagdá.

Em 1881, enquanto escavavam os vestígios da Babilônia, os arqueólogos descobriram dezenas de milhares de tábuas de pedra com escritos e imagens antigas que datam do século 6 a.C.

Entre eles, o arqueólogo Hormuzd Rassam se deparou com um objeto mais especial e interessante: a tábua de Shamash. Segundo os pesquisadores, ela foi feita durante o reinado do soberano Nabu-apla-iddina, por volta do século IX a.C.

Por que algumas pessoas pensam que ele propõe a presença de tecnologias antigas avançadas?

O antigo baixo-relevo mostra Shamash sentado em seu trono. Do outro lado, há três figuras diferentes: um sacerdote e a divindade Aa, que conduzem o soberano Nabu-apla-iddina ao santuário.

Entre eles existe um altar e acima, um disco solar, que é um sinal de energia superior. O que é imediatamente impressionante é que a figura do Deus Sol é muito maior do que a do homem (como você pode observar na imagem do post). É simbolizado como um gigante.

A cerca, dentro da qual está Shamash, segundo teóricos e vários pesquisadores, mostra uma conexão entre a divindade e o universo porque dentro dela também simboliza a lua, o sol e a estrela (Vênus) - isso realmente é bem curioso.

No topo da placa estão entidades celestiais (divindades ou anjos acompanhantes) que seguram o disco do sol, amarrado com duas cordas.

Um elemento interessante da tabua de Shamash é a coluna que se eleva diante do deus, que o separa das diferentes três figuras. Ele tem a mesma base sobre a qual o disco solar repousa na parte superior e na parte inferior.

De acordo com interpretações, esta coluna mostra inequivocamente a transferência de energia de níveis superiores para níveis inferiores.

O que está representado na tabua de Shamash parece como se os antigos babilônios pudessem se conectar com as forças celestiais e seus deuses com o toque de um botão especial.

O disco solar (ou portal para alguns) seria uma espécie de linha ou mesmo portal que se conectava com os deuses. Dessa forma eles podiam se comunicar com eles, e até observa-los.

Supondo que este fosse o evento, atualmente podemos apenas imaginar e sonhar exatamente como essa tecnologia avançada funcionava há tantos milhares de anos.

Os próprios anjos ou seres celestiais que seguram o disco (como você pode ver na imagem), na verdade poderiam ser alguma parte dessa tecnologia que no passado foi mal compreendida e interpretada como seres celestes. Alguns teorizam e acreditam que na verdade eram naves que sustentavam esse disco solar no passado, e essas naves que faziam esse disco funcionar.

Isso tudo foi teorizado por teóricos e especialistas que estudaram e analisaram a tabua ao longo dos anos..