A misteriosa ilha em forma de circulo que se move sem causa aparente

19/06/2021

Na Argentina, existe uma pequena ilha em forma de círculo perfeito. Descoberta há alguns anos, essa estranha formação continua intrigando a comunidade científica.

"O Olho", como é popularmente conhecido, apareceu de um momento a outro no Delta do Paraná. Foi descoberto por acaso, graças a um piloto de helicóptero sobrevoando a área em 2016.

Atualmente, esta ilha misteriosa é um enigma para a ciência por dois motivos principais: primeiro, é perfeitamente circular. O segundo gira em seu próprio eixo.

O Olho: a ilha misteriosa

Está localizada entre as cidades de Campana e Zárate, na província de Buenos Aires. Desde que foi descoberta, vários cientistas tentaram resolver o mistério de seu surgimento repentino e sua forma totalmente circular.

O maior mistério do olho, entretanto, é sua incrível habilidade de se mover por conta própria. A ilha é rodeada por um anel com mais de 120 metros de diâmetro e no seu centro existe apenas uma fina camada de água.

Os especialistas acreditam que pode ter mais de 30 anos. No entanto, ainda é um mistério como ele foi formado e, principalmente, desde quando está se movendo.

Apesar dos habitantes da área saberem da sua presença, poucas pessoas no resto do mundo sabiam da sua existência antes de 2016.

Além disso, muitas testemunhas relataram avistamentos de OVNIs no local, bem como aparições estranhas, fantasmas e situações paranormais que não tem explicação lógica.

O mistério foi tanto que fez com que o cineasta Sergio Neuspiller divulgasse todos esses registros ao público por meio de um filme chamado "O Olho".

Sabe-se que essa área foi local de um povoado de Querandíes, etnia do nordeste da região de Pampeana. Nas margens do rio Luján, a caminho da ilha, ainda existem restos de cerâmica indígena.

Cemitérios também foram encontrados nessas passagens. De fato, muitos garantem que há setores do campo onde as vacas simplesmente não pastam ou se aproximam.

Existem também grandes navios cargueiros da década de 1930 que acabaram naufragados nos pântanos do Delta, na margem de um rio que não ultrapassa 15 metros de largura e nem 50 centímetros de profundidade.

Como eles chegaram lá? É outra questão que a ciência não foi capaz de responder.

Possível explicação científica... no entanto, ainda nada concreto

O estranho movimento, que foi evidenciado graças às imagens do Google Maps, é outro mistério inexplicável. Assim como a porção de terreno que existe no centro, que é firme e a água que o rodeia, fria e transparente. Algo que não acontece nessa área.

Agora é um enigma internacional, que diversos especialistas de todo o mundo tentaram entender.

Alguns especialistas acreditam que seja um "reservatório de vegetação"; formações que se desprendem, causando pequenas ilhas flutuantes movidas pelas correntes d'água e do vento.

Isso também gera pequenos ecossistemas que podem, em alguns casos, fazer com que certas espécies evoluam de forma isolada.

É PROIBIDA a cópia do conteúdo postado no site sem pedir autorização, material protegido por direitos autorais.